sábado, fevereiro 14

DESCUIDO AMEAÇA BENS HISTÓRICOS EM ANTONINA...

Na Praça Feira-Mar, o esqueleto de um quiosque será demolido pela prefeitura

Na cidade litorânea, esqueletos de obras inacabadas dividem espaço com o casario antigo avariado pela passagem do tempo.

Gazeta do Povo - 14/02/2009 00:01 Monica Cubis

Antonina

- Basta um rápido passeio pelo centro de Antonina, cidade histórica do Litoral paranaense, para ver que em muitos pontos esqueletos de construções inacabadas dividem espaço com os casarões históricos e estruturas avariadas pelo passar do tempo. O cenário mostra que o município precisa recuperar algo que ficou um pouco esquecido nos últimos anos – os cuidados com a conservação de seus pontos turísticos.

A atual secretária de Turismo de Antonina, Greice Schmegel, reconhece a existência do problema. Embora não tenha dados oficiais, ela afirma que o descuido foi um fator fundamental para a queda do desenvolvimento do turismo nos últimos quatro anos. “Quem é que vai querer vir para cá se os atrativos antigos não estão cuidados e os novos não estão acabados?”, comentou.

Memória preservada

O tombamento tem como principal objetivo preservar, por meio da lei, bens que possuem valor histórico, cultural, arquitetônico ou ambiental, impedindo sua degradação. “Isso impede a destruição e também que o imóvel perca suas características originais”, explica Florindo Wistuba Júnior, membro do Centro de Letras de Paranaguá e do Instituto de História e Geografia do Paraná.
Leia a matéria completa
No trapiche, interditado há mais de dois anos, uma placa do governo estadual revela que a entrega do projeto de restauração deveria ocorrer em fevereiro. A assessoria da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), responsável pela execução, informou que há um erro na placa, já que o contrato encontra-se dentro do prazo. A ordem de serviço foi assinada no final de 2008 e as obras, resultado de um convênio com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedu), tiveram início na primeira semana de janeiro. A conclusão está prevista para abril.

Na Praça Feira-Mar, próxima ao trapiche, a construção de um quiosque que servirá de lanchonete está parada há mais de um ano. A prefeitura vai fazer a demolição, mas não tem data definida. A atual administração alega que esse é um trabalho da gestão anterior e que a prefeitura não tem como dar continuidade, pois a verba foi devolvida para o fundo de origem.
A algumas quadras da praça, a obra de uma escola de ensino fundamental também está paralisada. A secretaria de Educação do município não tem informações sobre o projeto e de onde vieram os recursos. “A partir da semana que vem é que será possível fazer a análise”, explicou Rosane Maria de Souza Santos, secretária municipal de Educação.

Patrimônio histórico

Já na igreja matriz da cidade, três banheiros construídos há um mês terão de ser demolidos. A Igreja de Nossa Senhora do Pilar, datada de 1715, foi tombada pelo patrimônio histórico em 1999, o que impede alguns tipos de intervenção no imóvel. O padre Marcos José de Albuquerque contou que esta era uma reivindicação dos visitantes e turistas. “Pensei que era só a fachada que não podia ser alterada. Se precisar, vamos derrubar, mas estamos buscando alternativas.”
A coordenadora do Patrimônio Cultural da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, Rosina Parchen, explica que a legislação impede a descaraterização do imóvel e obras sem autorização e aprovação do órgão responsável. “Sempre é possível chegar a um acordo. Nosso papel é orientar e auxiliar no desenvolvimento de um projeto adequado.”

Quanto às obras inacabadas em Antonina, Rosina concorda que houve um descuido. “Acredito que tenha sido falta de diálogo, mas não é culpa de um órgão específico. Alguém pediu e a obra começou a ser feita. No caso do quiosque, o fato de estar abandonado é pior, mas interferiria no cenário histórico da cidade de qualquer forma”, lamenta.

A prefeitura de Antonina tem um plano de desenvolvimento cultural e social da cidade. “Vamos recuperar casarios e pontos históricos onde vivem pessoas daqui e não apenas lugares públicos. Nosso interesse é mostrar a cultura, mas inserindo os moradores”, afirma Greice. O planejamento está sendo feito, mas a secretária de Turismo do município informou que ainda não há fonte definida para captação de recursos.

13 comentários:

  1. "A verdade DÓI mais não DESTRÓI:será que o sr.ERLI(Y) já se preparou para o direito de resposta sobre este episódio que é herança do passado,ou vamos ter que engolir mais esse VEXAME JORNALISTÍCO; please CANDUCA olhe em sua volta pois ainda é cedo e dá TEMPO.

    ResponderExcluir
  2. Leandro Cardozo Branco14 de fevereiro de 2009 23:28

    essa foi a unica obra que esse ladrão chamado Kleber fez em nossa querida Antonina.e a auditoria sera que o Canduca esqueceu??? ou sera que ele não vai fazer e vai ficar tudo como esta??? sera que nos vamos ver o Kleber e o Dênis na cadeia ou não??? Canduca obre o olho e faz a audotoria por favor.

    ResponderExcluir
  3. Outra obra acabada e que já possui problemas de estrutura é o Mercado Municipal. A varanda de madeira frontal ao Restaurante do Joaquim está interditada. Só que quase dois meses, que a Prefeitura nem tomou nenhuma de atitude de solução.

    ResponderExcluir
  4. Parece-me que Antonina não tem leis municipais de proteção ao patrimônio histórico e cultural.
    Qualquer um poderá 'acionar a picareta' e cometer crimes imperdoáveis contra o patrimônio, a história e a cultura de Antonina.
    Haja visto aquele casario de pedra (só estava em pé a parede da frente) que existia atrás da Igreja de São Benedito.... O antoninense que perpetrou aquela barbaridade não tem nenhuma consciência e respeito pelo maior tesouro que Antonina tem: o ainda respeitável conjunto arquitetônico da época colonial. Qual vai ser o próximo edifício colonial a ser demolido? É só esperar pra ver... Antonina identifica-se com esses casarios antigos. Se eles desaparecerem, Antonina perderá a sua face.

    ResponderExcluir
  5. 1) - Há poucos dias, veiculou-se em outro blog que, aqui em Antonina se achou no lixo um livro ´de história de grande valor...

    2) - No fim do ano passado, o proprietário da ruina que existia atrás da capela de S. Benedito, demoliu-a...

    3) - Na semana passada, a posição isolada da Secretária de Turismo em não querer a 'antiguidade da Maria Fumaça' aqui em Antonina provocou muita celeuma.

    O que é que tres fatos isolados tem em comum?
    Os trés fatos tem em comum o desprezo e o pouco caso pela memória histórica e cultural de nossa cidade, que, embora seja mais que bicentenária, nem sequer museu tem...

    ResponderExcluir
  6. Sr. Eduardo Bó

    V.S. se enganou. O caso ñão é de santo de barro, e sim de edificações coloniais com argamassa de barro...

    Não é preciso dizer pra ir devagar, pois essa questão, de suma importância para a identidade de Antonina, sempre foi levada devagar, quase parando...

    Li na Gazeta do Povo, tempos atrás, exemplo a ser imitado:- que o proprietário de uma farmácia aí de Antonina havia espontaneamente procurado o CEPHA - (Conselho Estadual do Patrimônio Histórico e Artistico do Paraná) para que a preciosidade que sempre conservou não fosse desfeita em data futura e, por conta própria, solicitou abertura de processo para o tombamento de sua farmácia.
    V.S., em face da ascendência que tem sobre a formação de opinião nessa cidade, bem poderia tomar as rédeas de uma campanha em que os demais proprietários de imóveis coloniais tomassem a mesma iniciativa DE AMOR E RESPEITO PELA HISTÓRIA E MEMÓRIA CULTURAL DE ANTONINA.

    ResponderExcluir
  7. ANTONINA TURISTICA - A ESTAÇÃO

    Antonina já teve 'sala de visitas' para a chegada de turistas.
    Assim que a reforma da estação ferroviária veio a ser terminada, naquela época, a então Administração Municipal colocou ali uma equipe de servidores que eram dirigidos por Pessoa que, embora não tivesse curso de formação turística, tinha, entretanto, fino trato, muita simpatia e grande acuidade no tratamento dos turistas que chegavam para solicitar informações sobre Antonina. Todos eram recebidos com largo sorriso e muita simpatia e eram brindados com longos relatos de fatos e da história de Antonina. Todos saíam de lá elogiando Antonina, em face da perfeita recepção que tinham recebido....
    Querem que eu diga quem era a Diretora da Estação nessa época? Não é necessário, todos se lembram quando A vêm, pois é servidora do Município. Em todo caso, se houver quem não se lembre, bastará recordar que a ADLEIA ainda é a mesma e poderá refazer a dignidade da estação ferroviária, abandonada na administração passada e que virou, no momento, 'barracão de serviços'...

    ResponderExcluir
  8. Para a secretária de turismo ....

    Sem dinheiro, sua conversa está no 'mundo das esferas':- é discussão sobre o sexo dos anjos...

    ResponderExcluir
  9. Neutinho

    É elogiável o Mutirão que está sendo realizado em nossa cidade, mas pelo lado social é lamentavel, porque?
    - Estamos passando por uma situação delicada em nosso porto e nossa cidade cheia de pais de famíla desempregados, e o que vemos, uma grande quantidade de pessoas de outras cidades tomando os trocados de nossos irmãos antoninense, um colega meu que trabalhou durante a eleição para o Prefeito estava "P" da vida com esta situação que é a mesma sentida pelos demais seguidores da atual Administração. Na verdade faltou vontade política de fazer o correto acontecer e ainda levar um 10, é lamentável....

    Minha filha chegou em casa comentando que as professoras passaram um recado a todos os alunos repassarem aos seus pais: "Este ano não terá distribuição de materiais escolares nem uniforme, devido a Prefeitura estar investindo nas ruas e estrada da cidade". Uma perguntinha que não quer calar?
    - Não sãosecretarias destintas, com orçamentos distintos?

    Ozéias Martins Velloso

    ResponderExcluir
  10. É bom que Antonina pare de pensar que o Porto é a sua solução.

    A iminente dragagem do canal da galheta parece que foi suspensa pela Justiça Federal, em ação popular - (ver o blog Sinergia) - Essa estória vai longe....

    A solução definitiva para Antonina é o turismo.... Turismo é coisa séria, e sua secretaria deveria estar em mãos de pessoa experiente.

    Vamos inverter a bandeira:- o turismo garante, e o porto acrescenta...

    ResponderExcluir
  11. Porque que a secretaria do turismo não está em mãos de empresário de turismo, seja de restaurantes, seja de pousadas ou hotéis? Empresário mesmo, já calejado, empresário aqui de Antonina?
    Porque é que deram uma secretaria tão importante para uma 'estrangeira'?

    ResponderExcluir
  12. Tem um comentário do nosso amigo Tony, referindo-se a uma Associação de Empresários de Turismo. Essa Associação é que devia ser a "DONA" da Secretaria de Turismo. Esse assunto não é brinquedo de criança interessada em 'mostrar competência...' COMPETÊNCIA É VIDA, não é diploma...

    ResponderExcluir
  13. Era para a AESTUR indicar o próximo secretário de turismo, mas não foi o que aconteceu, ficou só no papo.

    ResponderExcluir

COMENTÁRIOS SOMENTE COM CONTAS NO GOOGLE